Microfones Sem Fio

Sistemas de microfone sem fio são um componente chave em praticamente todas as produções televisas, teatrais, religiosas, corporativas, musicais, cinematográficas e educacionais. O espectro está congestionado com múltiplos sistemas sem fio e a exigência de desempenho dos sistemas é rigorosa, se quisermos um funcionamento sem interferências.
Cada vez mais as produções têm se voltado para o uso de microfones sem fio. Para os usuários, sejam eles atores, cantores ou músicos, significa liberdade de movimentar-se pelo palco, uma aparência mais natural para a platéia permitindo assim uma maior concentração na apresentação.

Já para os técnicos é uma nova guerra a ser conquistada. Escolha da frequência de transmissão, posicionamento da antena, interferências, tipo de transmissor, adaptação do artista que muitas vezes nunca usou um microfone. E depois disto tudo é o dia a dia em locais diferentes, onde o microfone que funcionou perfeitamente na véspera nem sempre funciona

Para termos sucesso, é necessário um planejamento criterioso não só na escolha dos equipamentos, mas também no método de trabalho.

Seleção de Freqüências

No Brasil, microfones sem fio funcionam na região de VHF entre 150 e 216 MHz (canais 7 a 13) e na região de UHF entre 470 e 806 MHz (canais 14 a 69). Estas bandas são em sua maior parte usadas para transmissão dos canais de televisão e rádios FM. Transmissores de televisão em canais adjacentes ao de nossos microfones sem fio podem inutilizar completamente nossos sistemas. Em qualquer aplicação profissional, receptores de alto desempenho, antenas especializadas e cabeamento adequado são fundamentais para obtermos um sistema livre de interferências.

Designação   Faixa de Frequências       Região

UA                       782-806 MHz                   USA

UB                       692-716 MHz                   USA

M4                       662-692 MHz                   USA

MA                      782-810 MHz              Mundo / Europa

R7                       782-810 MHz                    Europa

M3                       692-716 MHz                    Europa

A tabela acima mostra as designações estabelecidas aos equipamentos de microfone sem fio, de acordo com a região do mundo. A experiência mostra que os sistemas designados UA, MA e R7 são os mais compatíveis com o Brasil.

Coordenação de Freqüências

A maior complexidade de um sistema com múltiplos microfones sem fio é a designação das freqüências de trabalho de cada microfone. É importante não só que eles não tenham a mesma freqüência, mas que harmônicos destas freqüências não sejam coincidentes com freqüências de outros transmissores.

A distância Transmissor-Receptor não deve ser inferior a 6 metros e não superior a 30 metros. Enquanto que o alcance da distância maior é óbvio para todos, o que poucos se dão conta é que se colocarmos o transmissor muito perto do receptor corremos o risco de saturar a entrada do mesmo pois sua sensibilidade foi ajustada para captar o sinal mais fraco devido à distância, na pior das hipóteses.

Utilização

Os aspectos técnicos de transmissão não são os únicos a serem superados. É preciso que a operacionalização também funcione. Estando cada vez mais comum que os espetáculos utilizem múltiplos microfones sem fio torna-se complexo o dia a dia da equipe técnica. Aqui vão alguns conselhos para tentar facilitar o trabalho:

Microfones devem ser testados diariamente pelo operador (na mesa de som) antes de distribuir e após serem colocados nos cantores. Isso deve ser feito com uma tolerância de 20 minutos antes do início do espetáculo.

A partir deste instante, os microfones permanecerão ligados até o final do espetáculo, a não ser que exista algum motivo operacional para desligá-los (não deve haver e esta é uma opção que só deve ser usada em último caso).

Em hipótese alguma deverá ser permitido aos artistas desligarem por conta própria seus microfones, da mesma forma que devem ser auxiliados por um técnico ou treinados a colocá-los em seus corpos (no caso de um técnico, a experiência dita que uma pessoa do sexo feminino executa melhor este serviço). A pessoa escolhida para colocar os microfones deve ser capaz de enfiar a mão dentro da blusa ou calça do artista com naturalidade (de preferência evitar mãos geladas). Ela deve ter experiência com os receptores, assim como com os transmissores.

Se um microfone estiver desligado, seu receptor também deve ser desligado (ou seu canal da mesa fechado).

Os artistas só podem colocar os microfones se eles tiverem sido examinados pelos técnicos.

Os músicos devem estar a vontade com o uso dos microfones. Para tal é necessário que eles acostumem-se com seu uso desde os ensaios.

A equipe técnica deverá reunir-se com as equipes do figurino e maquiagem para determinar a melhor forma de colocação dos microfones. Os microfones devem ser colocados de forma segura e ao mesmo tempo confortável, para que não atrapalhe a apresentação do artista. Após posicionados os microfones NÃO pode mais colocar-se maquiagem ou "hairspray" em suas proximidades.

As baterias dos microfones sem fio devem ser renovadas a cada espetáculo. O máximo que será permitido é o uso da bateria do dia anterior durante a passagem de som. Ao término desta e antes do início do espetáculo do dia, uma nova bateria deve substituir a usada. O tempo de utilização médio deve ser de três horas e deve-se verificar a tensão de cada bateria antes de usar.

Um sistema de intercomunicação entre a mesa de som e o palco deve estar ativo durante o espetáculo para o caso de alguma modificação poder ser comunicada ao operador.

Todos os técnicos que trabalharem no espetáculo devem estar familiarizados com o mesmo, tendo cada um sua própria cópia do roteiro.

Um sistema de microfone sem fio deve ficar de reserva para o caso de alguma eventualidade.

Os receptores deverão ficar o mais próximo possível dos transmissores. Os técnicos devem poder ver os receptores para poder monitorar a portadora do sinal e verificar quaisquer problemas. Por outro lado as antenas devem ficar o mais próximo possível do palco.

Caso isso não seja possível, colocar as antenas no palco e utilizar cabo co-axial de baixa perda entre as antenas e o receptor. O cabo deve ter baixa perda de sinal na faixa entre 200 MHz e 800 MHz. Um dos melhores para esta aplicação é RG-59U ou RG-6U.

Os receptores deverão ficar afastados de racks de dimmers, fiações elétricas e as antenas de outras possíveis fontes de ruído como computadores, equipamentos de áudio e vídeo digitais etc.

As antenas dos transmissores devem estar totalmente extendidas e não enroladas no bolso do artista.

Nem sempre colocar as antenas no alto dá um bom resultado e as vezes facilita a captação de interferências externas. Ao usar mais de uma antena, angule-as de forma que nenhuma cruze o caminho das outras.

Se possível, o artista não deve estar usando objetos metálicos

Posicionamento dos Microfones de Lapela

Cantores – no peito, cerca de 15 cm. abaixo do queixo. Cuidado deve ser tomado para que não seja muito acima, para evitar entrar na região de sombra acústica abaixo do queixo.

Na cabeça, na testa tomando cuidado para caso sejam usadas perucas ou chapéus, os mesmo não bloqueiem o microfone.

Caso um microfone direcional seja utilizado, deve-se observar cuidadosamente para que o mesmo esteja apontado diretamente para a boca do artista.

Caso o artista esteja usando gravata, é uma boa idéia dar uma volta com o cabo na gravata, desta forma se o cabo for puxado o microfone continua apontando para a boca do artista.

Processamento nos microfones de lapela

Deve-se evitar o uso de muita compressão, pois o risco de microfonia aumentará na mesma proporção.

A seguir temos algumas especificações úteis na seleção de um microfone sem fio:

Sensibilidade: 1 microVolt por 20 dB SINAD ou superior

Distorção de áudio: menor que 1% em 1 KHz

Faixa dinâmica: 90 dB ou superior

Rejeição de AM: 50 dB se não for especificado nível, 60 dB na faixa de 20 microVolts a 50 miliVolts

Faixa do Limitador: superior a 15 dB

Rejeição de Imagem: 80 dB ou superior

Interceptação de terceira ordem: -15 dBm ou superior.

Tempo de bateria: superior a 8 horas para uma bateria alcalina de 9V

Potência de transmissão: 30 mW em VHF e 150 mW em UHF